Nosso Pai-Bispo comemorou em 2016, o Jubileu de três importantes acontecimentos religiosos de sua vida: há sessenta anos fez sua Profissão religiosa na Congregação Salesiana de São João Bosco; cinquenta anos atrás foi ordenado Sacerdote e há trinta e cinco, recebeu a Ordenação Episcopal.

Este número de nosso Boletim Paroquial quer recordar esses Jubileus, de Diamante, de Ouro e de Coral. Unir-se ao nosso Pastor na ação de graças a Deus por todos os dons recebidos em sua vida e, também, para manifestar a Dom Vartan gratidão pela sua presença entre nós.

Queremos conhecer sua infância e juventude; reviver a vida salesiana de nosso Pai-Bispo, seus longos anos de Sacerdócio e seus numerosos anos como primeiro responsável pelas Comunidades armênias católicas da América Latina.

Tomaremos conhecimento de como foram celebrados esses três jubileus, tanto em Roma, como nas Comunidades da América Latina.

Iniciamos com o gesto paterno do Papa Francisco que escreveu uma carta a Dom Vartan, felicitando-o pelos cinquenta anos de Sacerdócio e

enviando sua Bênção Apostólica, extensiva às nossas Comunidades.

 

Carta do papa Francisco 

Ao nosso venerável irmão Vartan Waldir Boghossian, SDB, Bispo de São Gregório de Narek de Buenos Aires dos Armênios,

Exarca Apostólico dos Fiéis de Rito Armênio da América Latina e México:

Deus todo poderoso, em sua imensa bondade quis colocar-me na suprema missão da dignidade eclesial e conferir-me este ministério de serviço apostólico para que, ajudado por sua bênção, pela graça da sua misericórdia, com a força do Rei celestial, possa enfrentar e compartilhar com os Pastores os cuidados e ministérios que me foram confiados.

Assim, venerável irmão, voltando meu pensamento para o senhor, que no dia 22 do próximo mês de dezembro celebrará o Jubileu Áureo de sua Ordenação Sacerdotal, com esta carta quero expressar-lhe minhas mais fervorosas felicitações, tendo presente o seu trabalho.

Tendo ingressado na Sociedade de São Francisco de Sales o senhor desempenhou, após a ordenação sacerdotal celebrada em Roma, vários ministérios ligados ao trabalho pastoral e à educação dos jovens, segundo o carisma de São João Bosco. Exercendo seu trabalho com solícita diligência, no dia 3 de julho de 1981 o Papa São João Paulo II o nomeou primeiro Prelado do Exarcado Apostólico, erigido para os Armênios Católicos de toda a América Latina. Posteriormente, no dia 18 de

fevereiro de 1989, o designou também Bispo da nova Eparquia São Gregório de Narek de Buenos Aires dos Armênios, continuando até hoje como pastor do seu rebanho.

Conheço seu empenho no ministério como também seu solícito testemunho de um Sacerdócio consumado no Espírito de Cristo, para o bem dos fiéis de rito armênio que vivem nos diversos países da América Latina. Sou consciente da pesada carga de sua ação pastoral para utilidade das ovelhas; sempre sou informado de seu excelente trabalho sacerdotal. Assim, ao educar na fé emprega o poder espiritual da Ordem sagrada para a edificação dos outros, a fim de que, por seus cuidados, os fiéis sejam conduzidos à prática sincera da caridade.

Ao felicitá-lo, pois, venerável irmão, por suas obras realizadas na vinha do Senhor, suplico a Deus que multiplique no senhor, seus dons. Deus, ao conceder-lhe esta feliz comemoração, conceda que a terra, semeada por seu laborioso ministério, com a semente do Evangelho, frutifique sob a condução impulsora do Espírito do Senhor.

Desejo, enfim, que o acompanhe minha Bênção Apostólica, que estendo a quantos estão presentes; aos amados filhos e filhas da Eparquia São Gregório de Narek de Buenos Aires dos Armênios, como também de todo o Exarcado Apostólico para os Fiéis de Rito Armênio da América Latina e México, a todos os participantes da celebração do Jubileu e a todos aqueles que o senhor leva no coração. A todos peço o auxílio de suas orações, para que, com amor e sabedoria, possa cumprir meu muito grave Ministério Petrino.

Do Palácio do Vaticano, 28 de novembro de 2016, quarto ano do meu Pontificado.

Francisco

 INFÂNCIA E JUVENTUDE DE DOM VARTAN – SUA FAMÍLIA

Dom Vartan é brasileiro e paulista. Nasceu no noroeste do estado de São Paulo, na cidade de Penápolis, apelidada com o carinhoso nome de a “Princesa da Noroeste”.

Trata-se de uma cidade tranquila e humana, onde houve preocupação em oferecer saneamento básico, área de lazer e creche a todos os bairros da cidade. Em toda a sua extensão há coleta seletiva de lixo. Possui uma singela Praça Armênia, palco de várias celebrações.

Penápolis nasceu com a criação da estrada de ferro Noroeste e foi, desde o início atendida com dedicação, pelos beneméritos religiosos Franciscanos Capuchinhos.

Muitos sacerdotes nasceram em Penápolis e também três bispos: o nosso Dom Vartan, Dom Mauro Morelli, emérito de Duque de Caxias e Dom Frei João Alves dos Santos, bispo de Paranaguá, o mais jovem e o único já falecido.

Era o dia 27 de fevereiro de 1940, quando nasceu Waldir, nosso futuro Dom Vartan, segundo filho do casal Ardachés Boghossian e Olga Scudeller Boghossian; ele imigrante armênio nascido no Líbano e ela brasileira, descendente de italianos. O sr. Ardachés, conhecido como “Sr. João da Casa Armênia”, recebeu a home- nagem póstuma de u- ma rua da cidade com seu nome.

Os outros cin- co filhos são Arly Carlos, o primogêni- to, Mirtes Therezinha, Marina, Marly e Edu- ardo, que deram a seus pais 14 netos.

Todos os filhos receberam ótima formação humana e católica com as Irmãs Franciscanas do Educandário Coração de Waldir foi batizado com quatro meses, no dia 14 de junho de 1940. Viveu sua feliz infância na cidade natal, com sua querida família, recebendo dos pais ensinamentos e exemplos de vida cristã. Foi membro do grupo infantil da “Cruzadinha” e coroinha da paróquia e Santuário São Francisco de Assis.

JUBILEU DE DIAMANTE – 65 ANOS DE VIDA RELIGIOSA

A vida de Dom Vartan começou a tomar rumo novo a partir de 1952, quando tinha 12 anos.

Quis estudar no internato dos Salesianos, fundados por Dom Bosco, situado na cidade vizinha, Lins.

Dom Bosco, sacerdote italiano, é o santo Patrono da juventude, devido à obra que realizou em prol dos jovens; fundou duas congregações religiosas, os Salesianos e as Filhas de Maria Auxiliadora, que continuam hoje, em todos os continentes, sua grande obra.

Waldir se entusiasmou com o exemplo daqueles religiosos tão alegres, cheios de Deus e tão dedicados aos alunos. Deixou-se contagiar e no final do ano manifestou seu desejo de seguir o bom exemplo, entrando  na Congregação Salesiana.

                                Campo Grande: Noviciado; recebe o hábito religioso e faz a 1a Profissão Religiosa

Vencido o susto da família com aquela inesperada decisão, que podia ser um entusiasmo passageiro, ingressou no seminário salesiano da também não muito distante cidade de Tupã, onde cursou o “Ginásio”, atual segundo ciclo do ensino fundamental.

Os Salesianos possuem no Brasil seis Inspetorias ou Pro- víncias religiosas; uma delas a- brange os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e oeste de São Paulo, que engloba as cidades de Penápolis, Lins, Tupã, Lucélia e Araçatuba.

Eis porque, terminada a primeira fase de estudos e con- servando o desejo de se consagrar a Deus, Waldir, agora com quinze anos, se transferiu para a cidade de Campo Grande, para o Noviciado salesiano, ou seja, para a casa religiosa onde, durante um ano intenso, se prepararia para fazer a Profissão religiosa.

Recebeu, então, o hábito religioso e tendo concluído com êxito aquele ano de experiência, de prova e de preparação, com seus vários colegas fez sua primeira

Profissão religiosa, com os votos de viver, na Família Salesiana, por três anos, uma vida casta, obediente e pobre. Era o ano 1956! Em 2016 Dom Vartam celebrou os 65 anos dessa Consagração, seu Jubileu de Diamante de Vida Religiosa!

Permaneceu em Campo Grande para realizar os três anos de estudos filosóficos, o chamado “Curso Científico”, hoje “Ensino Médio”. Renovou seus votos religiosos por um segundo período de três anos e foi destinado ao seminário salesiano de Lucélia para, também ele, dedicar-se à educação da juventude. Ali permaneceu quatro anos, cuidando da formação de um grupo de jovens que, como ele no passado, desejavam ser religiosos.

 

 

 

JUBILEU DE OURO – 50 ANOS DE SACERDOTE

 Em 1963 os superiores religiosos enviaram o jovem Waldir, agora com 23 anos, à Europa para realizar seus estudos de teologia na Itália e, assim, ser ordenado Sacerdote.

Os dois primeiros anos foram transcorridos na faculdade teológica salesiana de Turim, no norte da Itália. É a cidade onde viveu e trabalhou Dom Bosco. Ali também morreu e seu corpo é conservado na bela Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora, por ele construída.

Foram anos espetaculares, com colegas salesianos provenientes de todas as partes do mundo, com exímios professores e um clima de família maravilhoso!

A Universidade Salesiana havia ficado pronta em Roma e eis, então, que Waldir realiza seus últimos dois anos de teologia nessa nova sede. Nova maravilhosa experiência na diocese do Papa, Roma.

                                          Roma: Dom Vartan e seus 39 colegas de Ordenação Sacerdotal

Roma abriga o Pontifício Colégio Armênio, seminário internacional armênio católico, que acolhe seminaristas de todas as nossas Eparquias.

Waldir teve oportunidade de conhecer bem o colégio e transcorrer lá um período de férias. Pôde também conviver com o Cardeal Agagianian, figura proeminente da Igreja católica, que vivia no seminário; o Cardeal esteve em 1955 no Congresso Eucarístico Internacional do Rio de Janeiro, representando o Papa.

Na Cidade Eterna, Wal- dir recebeu as ordens menores, o Diaconato e o Sacerdócio.

Seu grupo, formado por 40 Diáconos, foi ordenado no dia 22 de dezembro de 1966. Foi o primeiro a ser ordenado na igreja da nova Universidade. Do grupo quatro se tornaram bispos.

Os pais do então Padre Waldir, e vários de seus pa- rentes italianos compareceram na Ordenação.

Sua primeira Missa foi celebrada na cripta da Basílica de São Pedro, no pequeno altar construído sobre o túmulo de São Pedro, embaixo do atual altar papal. Junto com seus pais foi, então, celebrar a santa Missa na pequena cidade do norte da Itália, Susegana, na igreja onde foram batizados e se casaram seus antepassados, por parte de mãe. Dom Vartan sempre foi considerado também filho daquelas terras…

O Padre Waldir concluiu seus estudos e seu trabalho de teologia com o título de bacharel e regressou ao Brasil.

Como padre salesiano foi destinado a trabalhar nas cidades matogrossenses de Corumbá, Cuiabá e Campo Grande. Era o responsável da área educacional desses colégios salesianos. Em Campo Grande foi o diretor das Faculdades Salesianas de Filosofia, Ciências e Letras e da Faculdade de Serviço Social, que hoje integram a Universidade Dom Bosco. Na então recém criada capital de Mato Grosso do Sul, integrou também o Conselho Estadual de Educação.

Em todas as cidades brasileiras em que trabalhou como salesiano, sempre teve um empenho pastoral sacerdotal com o jovens. Mesmo como diretor da faculdade dedicava os sábados e Domingos ao ministério sacerdotal de uma grande quase-paróquia da periferia. Aí se repetiu a sua história: uns de seus coroinhas quis imitá-lo e se tornou sacerdote da arquidiocese de Campo Grande, o Padre Paulo Sérgio Vital da Cruz! Ele compareceu na celebração desde Jubileu, em São Paulo.

JUBILEU DE CORAL – 35 ANOS DE EPISCOPADO

 Foi em Campo Grande, trabalhando nas faculdades salesianas, que o Padre Waldir recebeu o inesperado convite do Papa para ir a Roma se preparar para trabalhar pelos armênios. Esse convite veio ao encontro do grande sentimento armênio que sempre sentiu. Procurou, várias vezes, mas sem êxito, aprender a língua armênia, a de sua família; chegou a entrar em contato com a Congregação armênia Mekhitarista de Veneza, nos anos que esteve na Itália.

Padre Waldir dedicou o ano de 1981 ao estudo da língua e liturgia armênias, julgando que cuidaria da Paróquia de São Paulo. O motivo verdadeiro do novo chamado somente soube alguns meses mais tarde: fora escolhido pelo Papa São JoãoPaulo II para ser o Bispo dos Armênios católicos da América Latina.

A publicação da nomeação ocorreu em Roma no dia 3 de julho de 1981.

Teve que suspender o estudo do armênio moderno e se dedicar, nos cinco meses que o separavam da ordenação episcopal, ao estudo da liturgia, especialmente da sa

CELEBRAÇÕES DOS JUBILEUS DE DOM VARTAN

Roma

nta Missa que é celebrada e cantada em armênio clássico.

A ordenação episcopal, presidida pelo então Katolicós Patriarca Hemaiag Bedrós XVII, realizou-se em Buenos Aires, estabelecida como sede do Exarcado Apostólico para os Armênios Católicos da América Latina e México.

Nesta ordenação, ocorrida no dia 12 dezembro de 1981, festa de Nossa Senhora de Guadalupe, Padroeira da América Latina, o Padre Waldir assumiu também o nome religioso de Vartan, militar santo, herói e mártir do povo armênio. Como lema para a sua vida episcopal escolheu “Servir”, “Dzaraiél” na língua armênia.

Novamente compareceram os pais de Dom Vartan, seus irmãos salesianos e numerosos fiéis do bairro de São Sebastião, de Campo Grande, onde Dom Vartan, aos sábados e Domin- gos, se dedicava como Sacerdote.

Percorrendo a América Latina

Somente em 1989 o Papa elevou a Argentina a Eparquia (Diocese) e nomeou Dom Vartan como seu primeiro bispo. Decidiu também que conservaria sua missão anterior de Exarca Apostólico para o restante da América Latina.

Em 2016 a sede do Exarcado foi transferida para o Brasil, em São Paulo. Buenos Aires continuou como sede da Eparquia.

Nos anos de 2001 e 2002 foi também reitor do Pontifício Colégio Armênio de Roma. Durante o ano de 2015 foi encarregado pelo nosso saudoso Katolicós Patriarca Nersés Pedro

XIX de organizar, no Vaticano, as celebrações do Centenário do Genocídio Armênio.

Dom Vartan é membro, com voz e voto, da Conferência Episcopal da Argentina, do Brasil e do México, além de ser membro do Sínodo dos Bispos da nossa Igreja Armênia Católica.

CELEBRAÇÕES DOS JUBILEUS DE DOM VARTAN

Roma

Dom Vartan iniciou em Roma a comemo- ração dos seus Jubileus religiosos, pois lá fora ordenado Sacerdote e nome- ado Bispo.

O Papa Francisco atendeu o seu pedido e ele pôde, juntamente com alguns colegas de ordenação sacerdotal, concelebrar com o Papa na sua capela de Santa Marta. Também na Praça de São Pedro recebeu a bênção do Papa, extensiva a todas as suas Comunidades.

Dom Vartan aproveitou para celebrar novamente no altar localizado sobre a tumba de São Pedro, e na igreja do

Pontifício Colégio Armênio onde fora Reitor; visitou ainda a Universidade Salesiana onde estudou  e se formou; ali encontrou com saúde dois de seus antigos professores …

No Brasil, a primeira cidade escolhida para comemorar foi sua cidade natal, Pená- polis, pois ali nas- cera como filho adotivo de Deus, maior título que se possa conseguir nesta terra. Celebrou a Missa de ação de graças, em rito armênio, para a Comunidade paroquial. No Santuário de São Francisco está a fonte batismal onde se realizou o seu segundo nascimento.

 

 

 

 

São Paulo

Comunidade armênia católica de São Paulo celebrou os Ju- bileus religiosos de Dom Var- tan. A santa Missa de Ação de Graças foi cantada na Catedral São Gregório Iluminador. Se- guiram-se a homenagem e um coquetel no salão de festas paroquial. Dom Vartan recebeu os cumprimentos na Catedral onde foi entregue aos fiéis a imagem de Nossa Senhora Armênia, de Narek, como lembrança dos Jubileus.

 

Buenos Aires

Era o Domingo, 11 de dezem- bro quando os Jubileus foram come- morados na Eparquia São Gregório de Narek de Buenos Aires. Nossos dois Sacerdotes, o Arcipreste Paulo Haki- mian e o Pe. Gomidás Sebastião con- celebraram a Missa. Também em Buenos Aires os fiéis participaram da liturgia e da recepção e homenagem oferecidas no salão de festas. A a- presentação do Grupo de Danças da Paróquia deu um toque artístico a esse encontro familiar.

 

 

 

 

 

 

Montevidéu

A Comunidade Armênia Católica do Uruguai, com a organização do Arci- preste Antonio Ketchedjian e do Pe. Genaro Lusararian, homenageou Dom Vartan no Domingo seguinte, 18 de dezembro. A Catedral armênia católica Nossa Senhora de Bzommar congregou os fiéis para a Missa de Ação de Graças, seguida por um almoço, regado com muita música armênia, ao vivo.

Assim, várias Missas de louvor e de agradecimento a Deus, foram cele- bradas pelos três Jubileus Religiosos. Nelas Dom Vartan expressou sua gra- tidão também à sua família de sangue, à Congregação salesiana, às suas Comunidades armênias e a todos os que colaboraram na sua formação humana e religiosa e na missão apostólica que lhe foi confiada pela Igreja.